São Bernardo hoje é o centro da luta por moradia

SoB | Movimento | 18/09/2017 | 368 |



São Bernardo do Campo hoje é o centro da luta por moradia no ABC

POR BONI RIBEIRO

A ocupação denominada Povo Sem Medo, que teve início no dia 02/09/17, em um terreno localizado próximo à empresa Scania, em São Bernardo do Campo, começou com 500 famílias, hoje conta com mais de 7 mil e continua crescendo.

Não é por acaso que o crescimento da ocupação Povo Sem Medo está sendo tão grande, apenas em São Bernardo do Campo são mais de 90 mil sem-tetos, número que atinge 130 mil em todo o ABC.

Esse movimento, que é encabeçado pelo MTST, ocupa um terreno com mais de 60 mil m2, uma área abandonada ha mais de 40 anos. A área pertence a construtora MZM, empresa que já foi notificada várias vezes por não cumprimento da função social do terreno.  Na verdade, essa é mais uma área que serve apenas à especulação imobiliária para enriquecer os grandes proprietários.

Até o último dia 15 vivemos sob a ameaça imediata de reintegração de posse devido a uma liminar concedida ao proprietário, mas essa foi derrubada pelo tribunal de justiça graças à força do movimento. Mas, não podemos confiar na justiça burguesa, só garantiremos a vitória com o fortalecimento da nossa luta.

Essas 7 mil famílias são organizadas em grupos de até 400 famílias ocupantes. Já chegamos ao número de 18 grupos chamados G 1, 2, 3 etc...com cozinha coletiva e banheiros construídos pelos ocupantes. Todos os dias são realizadas assembleias com a participação de todos os ocupantes para garantir a organização e a continuidade do movimento.  

Na penúltima passeata que realizamos fomos em marcha até a prefeitura de São Bernardo do Campo, onde o movimento esperava ser recebido pelo prefeito Orlando Morando (PSDB) para uma audiência, mas esse não recebeu os representantes da ocupação. Mesmo assim, por força da nossa luta, na última sexta-feira foi marcada uma audiência no Fórum em São Bernardo do Campo entre o proprietário e lideranças do movimento.

O tucano Orlando Morando ao invés de cumprir com a função para a qual foi eleito, age na defesa do proprietário-especulador do terreno, dificultando a entrada de alimentos utilizando da GCM para isso, além de dar sistematicamente declarações contrárias à nossa luta.

A ocupação Povo Sem Medo acabou com a aparente paz política da cidade, isso porque milhares de trabalhadores desempregados e sem-teto saíram da passividade e assumiram em suas próprias mãos o seu destino, o que gerou reação raivosa por parte da elite de São Bernardo do Campo. 

Como parte disso, no último dia 16, da sacada de um dos apartamentos de luxo que fica atrás do terreno ocupado, foi feito um disparo de arma de fogo de baixo calibre contra um dos ocupantes que foi socorrido pelo SAMU, passou por cirurgia e felizmente recupera-se. Essa reação fascista é parte da onda reacionária que vive o Brasil, mas a nossa luta é justa e nosso povo trabalhador vai até o final por moradia, emprego e direitos.

A solução do gigantesco déficit habitacional é de responsabilidade dos governos municipal, estadual e federal. Por isso, é de extrema importância que exijamos das três esferas do poder uma solução favorável ao nosso movimento. 

Dessa forma, várias ocupações irão se concentrar nesse dia 19, às 15h na Estação da Luz (capital), para uma marcha que sairá da Rua Casper Libero com o objetivo de exigir do poder público financiamento para os programas populares de construção de moradias.

A participação de todos do movimento e dos apoiadores é fundamental para obtermos uma vitória. Só a luta muda a vida!


As mais lidas